(21) 2570-4749 | (21) 99907-0607 | (21) 99911-9100 titavidal@diadanoiva-rj.org

Tradições de casamento russas pra ficar de queixo caído

Tradições de casamento russas bizarras

Os russos sempre foram um povo excêntrico. Seus costumes cotidianos e seus rituais dão aos russos a imagem de um povo peculiar com hábitos que beiram a loucura. Quando se fala de casamentos os russos não deixam por menos. Confira neste post dois rituais de casamento russos que vão te deixar de queixo caído, talvez você tenha até dificuldade pra acreditar.

 

O noivo escravo/guerreiro

 

Nesta tradição de casamento russo, quando um homem pretendia se casar com uma mulher, deveria se submeter a trabalhar como escravo para a família da noiva, que permitiria o casamento caso gostasse dos trabalhos do rapaz. Hoje em dia esta etapa do ritual ainda existe, porém em tom de brincadeira. O noivo precisa apenas pagar alguns micos escolhidos pela família. Se não tiver destreza suficiente para pagar os micos, pode agradar os parentes da mulher com bombons e outros mimos.

 

Mas no ritual antigo, depois de ter seu trabalho escravo aprovado pela família da noiva, o noivo tinha mais uma etapa a cumprir: precisava encontrar a noiva e deixá-la nua.

 

Sim, isso mesmo. As amigas da noiva a ajudavam a colocar quantas roupas e faixas fossem necessárias para que a tarefa do rapaz ficasse bem difícil. Quando estivesse pronta, parecendo uma múmia, a noiva se escondia. Quando a encontrasse, o noivo deveria se atirar sobre ela e tentar retirar sua roupa o mais rápido possível, já que ao perceber que a moça havia sido encontrada, as amigas tentariam impedir o noivo de cumprir sua tarefa, e para isso elas o agrediam, podendo deixá-lo bastante machucado.

 

Depois de todo o trabalho escravo e toda a luta, a noiva convidava o noivo para descansar ao lado dela em sua cama.

 

E tem mais da Rússia:

 

Noiva analisada nua e chicoteada na festa

 

Esta tradição russa talvez seja mais bizarra que a anterior. Quando o rapaz pretendia se casar com alguém, a noiva era analisada nua pelas amigas do noivo, para que pudessem passar um relatório detalhado a ele. Se a futura esposa fosse aprovada por ele, o casamento acontecia.

 

Depois da cerimônia vinha a festa de casamento, onde mais bizarrices aconteciam. Os noivos podiam sentar à mesa com os convidados, mas não podiam comer. Os convidados ainda eram animados por um coral de crianças cantando músicas obscenas.

 

Em um dos momentos cruciais da festa, o noivo escondia um chicote em um dos pés de sua bota, e no outro colocava um objeto qualquer. A noiva deveria então tirar os sapatos do noivo. Se retirasse primeiro o sapato com o objeto, este era dado de presente a ela como prova de que teriam um casamento muito feliz juntos. Porém, se a noiva tirasse primeiro o pé da bota onde estava o chicote, era imediatamente golpeada pelo noivo, como aviso de que ele poderia chicoteá-la quando quisesse ao longo do casamento.

 

Pensa que acabou? Não. Depois do ritual das botas os noivos ficavam sozinhos em um quarto por duas horas, enquanto isso um grupo de senhoras os aguardava do lado de fora. Após a primeira vez dos dois, a noiva saía do quarto e mostrava para as senhoras a marca da sua virgindade. As senhoras faziam uma trança nos cabelos da noiva e iam falar com o pai para que pagasse o dote pela filha. O dinheiro era entregue ao noivo, e então os dois viviam juntos pra sempre.

 

 

 

fonte: favaretto noivas e festas

 

 

 

Comentários

Faça um comentário